Pular para o conteúdo

Quando

Garoto devora universo. Que série sensacional.

*

Às vezes finjo que meu travesseiro é você. Abraço meu travesseiro e pergunto como foi o dia dele. Você não responde porque tem vergonha de mim e de falar comigo.

*

Piquei mais cebolinha, agora pra omeleta. Picar cebolinha não deixa de ser um talento.

*

Fui lembrada hoje, mais uma vez e sempre, de que aqui estou para pagar as contas. Eu esqueço, às vezes.

*

Me tornei o cara de quem ninguém gosta. O que não deixa de ser uma profecia autorrealizada.

.

[no celular: Look what you’ve done to me, Boz Scaggs]

trecho de

Todo o tempo em que permaneci de joelhos esperando por você, de Olímpia Caballer [no prelo]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *