Pular para o conteúdo

Quando

Três anos depois e depois de um festival de agressões muito, mas muito cruéis mesmo em público e em particular (totalmente desnecessárias porque eu já estava nas cordas), e zero pedido de desculpas, o cara ainda banca a vítima porque uma mulher gorda se apaixonou por ele. Meu deus do céu.

Olhei pro cadáver no tapete com inveja: esse cara não tem problemas.

[no celular: Timoneiro – Paulinho da Viola]

Trecho de: Todo o tempo em que passei de joelhos esperando por você, Olimpia Caballer. (no prelo)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *