Canteiro de formigas – poemas de pijama e janela de trem

R$39,00

O poeta recolhe as imagens ao seu redor e as expande. Guarda a ternura do lugar e das coisas e introduz, na tessitura do poema, seres insignificantes. À vida útil, nada servem, no poema são o mundo.

JANELAS

Demora pouco o lixeiro passa
e o moído das tralhas entra pela minha janela.
Outro trisco
e ouço o coro dos sabiás em seus cantos de cortejo.
Mal viro de lado é hora de acordar.
O tempo também passa assim
com pouca graça
pela sua janela?

Do grão de areia no sapato ao pio da cambacica, tudo serve à poesia do autor. As coisas que levam a nada são revestidas da maior importância. O poeta inventaria o mundo a partir do seu quintal.
As imagens estabelecem intensa relação com as coisas ditas reais por meio do intangível. Pois a poesia deste livro não se toca com as mãos. Por meio dela nada se pretende. É a comunhão das coisas humildes, próximas ao chão à ternura do que queremos que o mundo seja.
172 páginas

Categoria:

O poeta recolhe as imagens ao seu redor e as expande. Guarda a ternura do lugar e das coisas e introduz, na tessitura do poema, seres insignificantes. À vida útil, nada servem, no poema são o mundo.

JANELAS

Demora pouco o lixeiro passa
e o moído das tralhas entra pela minha janela.
Outro trisco
e ouço o coro dos sabiás em seus cantos de cortejo.
Mal viro de lado é hora de acordar.
O tempo também passa assim
com pouca graça
pela sua janela?

Do grão de areia no sapato ao pio da cambacica, tudo serve à poesia do autor. As coisas que levam a nada são revestidas da maior importância. O poeta inventaria o mundo a partir do seu quintal.
As imagens estabelecem intensa relação com as coisas ditas reais por meio do intangível. Pois a poesia deste livro não se toca com as mãos. Por meio dela nada se pretende. É a comunhão das coisas humildes, próximas ao chão à ternura do que queremos que o mundo seja.
172 páginas

Peso 0.400 kg
Dimensões 23 × 18 × 2 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Canteiro de formigas – poemas de pijama e janela de trem”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *