Enquanto você ainda sabe o meu nome

Preciso aprender a viver sem você agora que você está falando bastante comigo. Já vi esse filme: triste, sozinho, infeliz, o cara é meu melhor amigo. A vida melhora, as namoradas aparecem, alegria, alegria e eu não valho nem um parabéns pelo livro novo. Foi assim com I. e eu nem era perdidamente apaixonada por ele, ele nem era o ar que eu respirava, eu nem pendurava Chagalls na parede do quatro por ele. Ele era, mesmo, só um amigo distante e, na época, simpático.

Preciso aprender a viver sem você enquanto você ainda sabe meu nome.

2 comentários em “Enquanto você ainda sabe o meu nome”

  1. Ai, Fal, todas as coisas que eu poderia escrever aqui. Eu tava bem, vestido de florzinha, sapato vermelho, riso por baixo da máscara, quase vivendo e tudo. Chegam três frases e eu me encolho e dói tudo e me sinto mergulhada em cimento que vai endurecendo e daí a pouco nem respirar eu vou.

    (Já seu post: lindo e lindo)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *